gado3.jpg

cenários para intensificação da bovinocultura de corte brasileira

Projeção da evolução do rebanho bovino brasileiro até 2030 sob diferentes cenários de uso do solo e de manejo, analisando os impactos econômicos e nas emissões de GEE

  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter ícone social

resumo

Nos últimos anos, o Brasil passou a ser o país com o maior rebanho comercial do mundo, concomitante a um aumento significativo na produtividade de carne bovina. Contudo, esses ganhos são oriundos da expansão de áreas de pastagens sobre a vegetação natural. A prática extensiva, além de impedir o alcance de plena produtividade, ainda é responsável por diversos impactos ambientais negativos, como a emissão de GEE. Com o propósito de analisar os impactos da intensificação na produção, economia e nas emissões, elaborou-se uma ferramenta de simulação dos sistemas de produção da bovinocultura, permitindo projetar a evolução do rebanho até 2030 sob diferentes cenários de uso do solo e de manejo.

metodologia

A partir do modelo desenvolvido na plataforma Dinamica EGO intitulado SimPEC, foram simulados cenários de intensificação da pecuária no Brasil. A ferramenta computa os resultados da adoção de diferentes variáveis propostas, como aumento da produção de carne, lucratividade, rentabilidade e emissões de GEE, assim, é possível analisar as melhores estratégias de intensificação da pecuária brasileira.

Produtividade x Emissões entéricas
Produtividade x Emissões entéricas

Evolução do Rebanho
Evolução do Rebanho

Margem de Lucro
Margem de Lucro

Produtividade x Emissões entéricas
Produtividade x Emissões entéricas

resultados

Todos os cenários avaliados, acarretam em um aumento nas emissões de GEE, que seria amenizado apenas por um rebanho em menor número e com maior produtividade. Para evitar a necessidade de crescimento do rebanho, deve-se aumentar a produtividade por animal, adotando medidas complementares à reforma do pasto, como, potencializar o ganho de peso do animal, a suplementação estratégica e o confinamento do rebanho. Essas medidas, refletem na redução de emissões, e resultados produtivos e ambientais positivos.